27 dez
Não é um adeus, é um “até logo”

Minha reflexão de ano novo também será o último post de 2015 aqui no Botica e provavelmente o último post que vai abrir um hiato muito importante por aqui.

Já tive a oportunidade de contar brevemente em alguns posts durante esses quase seis anos sobre minha “iniciação” na internet. Eu morava numa cidade pequena, com poucos recursos, mas que tinha uma casa, a Casa do Futuro, onde podíamos usar internet de graça durante uma hora por dia. O Windows que rodava era o 00, bem avançado até pros nossos padrões estando em 2003. Lá eu fazia meus trabalhos da escola, soube o que era fotolog, entrava como Britney Spears no chat da UOL pra ~tc~, lia fanfics no recém-lançado Floreios & Borrões e jogava campo minado. Lá também criei meu primeiro e-mail, no Hotmail, que tenho até hoje porém o coitado só recebe spam.

De lá pra cá tive um perfil e duas comunidades no Orkut, cinco fotologs, três blogs, depois fui pro Facebook, alguns (muitos) anos depois descobri a maravilhosidade da web móvel e criei meu Twitter, fiz amigos, descobri o lado muy amargo da internet e por aí vai. Pelas minhas contas são 12 anos, e tudo mudou com tanta rapidez que parece que foi ontem. Vivemos um avanço na tecnologia cada vez mais veloz: temos softwares, gadgets e o cacete a quatro (como diria meu pai) sendo lançados, sei lá, praticamente todo mês. Avanço esse que interfere totalmente em tudo na nossa vida: comportamento, economia, cultura, saúde, educação… Tais mudanças impactaram muito na vida dessa garota aqui que viveu 1/4 de século mas às vezes se sente como se tivesse 50, por ter visto e vivido tanta coisa…

O Botica é muito especial pra mim. Aprendi ABSURDOS blogando. Aprendi a pesquisar – e a pesquisar a certeza da pesquisa já feita -, a lidar com diferentes opiniões, a gerenciar crises, a respeitar meu próprio espaço e escrever somente sobre aquilo que realmente fizesse parte do meu mundo sem enfiar nada goela abaixo de ninguém. Conheci MUITA gente. Aprendi com muita gente. Virei fã de algumas pessoas e torci nariz pra outras. Aprendi a conviver com as diferenças e a respeitá-las, caso eu não fosse a favor. Fiz “looks do dia” péssimos, que já foram “gongados” (ainda usamos essa palavra?), escrevi besteiras, mas acho que escrevi coisas legais também. Nunca concluí uma faculdade, mas a vida é a melhor escola que tem. Jamais aprenderia tanto – sem menosprezar as faculdades, afinal, tenho uma pra concluir! E quem lê desde o começo sabe que comecei o Botica na intenção de me ajudar no Jornalismo, quando comecei a cursar. hehe

Através desse blog conheci pessoas que me levaram a outras e que, por fim, me deram empregos incríveis. Tanto aprendizado me levou a outro patamar, à construção de um sonho: ter meu próprio negócio. Mais precisamente, minha própria agência. Através dela quero levar pras pessoas tudo o que a esponja aqui absorveu de conhecimento. Quero valorizar os blogs que hoje são meus clientes e mostrar ao mundo que publicidade pode ser feita de forma legal. Mostrar que blogar dá trabalho sim e ganhar dinheiro com/através dele não é nenhum pecado, desde que se esteja fazendo a coisa certa.

Esse Botica aqui me ajudou a subir, com calma, esses degraus. Ainda tem mais escada pelo caminho, mas também não tenho pressa. O que senti necessidade de fazer era ser sincera com quem me acompanha – não importa o tempo, mas se visitou e voltou é porque se identificou com algo – e dizer que não consigo dedicar mais tempo ao blog. Isso doía no começo, mas hoje não mais. Vi que muitos leitores passaram a me acompanhar na minha “quase nova” empreitada, passaram a indicar meu trabalho pra seus amigos e isso pra mim significa que fiz alguma coisa certa. Isso me emociona, porque isso me importa mais do que você pensa. E a vida é isso, certo? Muda-se de lugar, mas raramente muda a essência. E isso quero e prometo manter, independente do que rolar adiante.

Sinto que encerro o Botica – blog – na hora certa, mas a Thálassa sempre vai estar nas redes sociais pra trocar ideias. Vai continuar rolando post lá no Instagram @botica_urbana e também no Snapchat thalassa21, e além disso tem as redes da TC, o blog – siiiim, vou atualizar uma vez por semana (Deus me ajude!): thalassacoutinho.com.br – e o meu Instagram, @thalassacoutinho.

Como já diz o título, não é um adeus, é um até logo. Pode ser que eu faça um post ou outro mais adiante, mas não quero criar expectativas. Você que me lê há alguns anos cresceu – espero que literalmente na altura, porque eu não tive a mesma sorte – e ficou um pouco mais maduro. Eu também. E minha caminhada hoje segue em outra direção, espero contar com você, de um jeitinho ou de outro. Obrigada por cada pageview, cada comentário, cada compartilhamento. Esse pequeno tempo que você deixou aqui pra mim me ajudou a chegar nesse caminho que estou hoje, e só tenho como retribuir com gratidão e com desejos sinceros de que você consiga ir longe na realização dos seus sonhos.

Um beijo enorme da Tha – ou da Botica :*


Tags:
1
Thálassa Coutinho

08 nov
Trip express: minha experiência no Ibis Budget

Nunca fui de viajar muito: na verdade, viajava mais quando criança e sempre pra casa de algum parente. Mas a gente cresce e tem outras necessidades, principalmente quando se tem que viajar a trabalho! E foi o que aconteceu comigo no final de outubro: precisei ir a SP ficar dois dias, mas onde se hospedar? Aí é que apareceu a oportunidade de contar a experiência de estadia em um dos Ibis Budget!

Ano passado fui pra SP participar de dois dias do Social Media Week, um evento anual pra galera que trabalha com internet, e fiquei no Ibis Budget da Paulista. Gostei muito porque tudo é muito enxuto e perfeito pra quem vai mais pro hotel pra dormir. Daí essa vez eu fiquei no dos Jardins e minha experiência foi a mesma: no check in a recepcionista foi super simpática (e já puxou pro carioquês característico), existem boas opções pra quem quer lanchar ou jantar, tem internet e computadores, e o café da manhã é bem completo (sim, comida pra um taurino é assim, BEM importante, haha).

botica-urbana-hotel-ibis-budget-jardins-barato

Fiquei duas noites e dormi super bem! O quarto tem o tamanho ideal pra duas pessoas, sabe? Eu não sou espaçosa nesse quesito, então tive o cantinho pra colocar minha mala, a escrivaninha pra colocar outros pertences e também trabalhar um pouco do notebook, cabides pra pendurar roupas que amassam… E a diferença é que tudo é mesmo bem compacto: tem o banheiro mas o box fica em outro compartimento, e a pia fica na parte externa. Fora que ter uma cama enorme pra dormir sozinha e poder ficar vendo TV (ou usando o celular no Wi-Fi) é muito bom depois de um dia cheio, sorry, namorido! haha

Por fim, o que muita gente quer saber: o preço! O valor máximo é de R$ 199 a diária e tenho que dizer que vale bastante a pena, viu? Você tem todo o necessário disponível gastando pouco. Então se buscar conforto na medida pra uma viagem onde você vai ficar fora boa parte do dia, recomendo super! 😉 Pra saber mais, clica aqui!


Tags: , , ,
1
Thálassa Coutinho

05 nov
Ficando iluminada!

Depois da mudança que fiz no final do ano passado que mostrei nesse post, fiquei quase um ano sem fazer qualquer procedimento nos cabelos (só escova e meu babyliss caseirão, bem de vez em quando). Senti que estava fazendo coisa demais e que precisava deixar os fios “respirarem”, sabe? Além disso, queria estar confortável com a cor do meu cabelo, que é castanho bem escuro, e gostar dele dessa forma.

Só que é um processo difícil… Me senti estranha, com a aparência pesada, sem vida. Aí pensei: vou fazer alguma coisa bacana que não precisa agredir muito o cabelo e de quebra iluminar. E foi assim que minha parceria com o salão Majestic começou: eu já conhecia a assessora deles e sugeri a transformação, porque lá não é só o reduto de ótimos profissionais como também é bem conhecido por um dos sócios, o Anderson Couto, ser o especialista em loiros (sabe o cabelo bafo da Gio Ewbank? Obra dele. O cabelo muso da Gio Antonelli? Obra dele. Letícia Spiller? Dele. E por aí vai).

Mas foi com a Adriana Copello (@adriana_copello no Insta) que me entendi: ela me foi recomendada por arrasar em iluminar morenas, e lá fui eu, com foco, força e fé! haha Nós conversamos bastante, mostrei minhas referências pra ela – que eram muitas, diga-se de passagem – e por fim chegamos nisso:

botica-urbana-majestic-salao-cabelo-mechas-long-bob

A Adriana contou lá no meu Snapchat (segue lá: thalassa21) que fez um long bob desfiado mais moderninho, cortou uma franja média – ela precisou fazer a escova London pra manter a bonita comportada -, e as mechas ficaram num tom caramelo pra iluminar mesmo, sem intenção de “aloirar”. Como descolorir resseca, ela hidratou com uma linha para cabelos quimicamente tratados da Kerastase super bacana. Depois rolou aquele babyliss esperto pra destacar as mechas e deixar o corte mais evidente.

O que achei mais bacana é que, embora seja um processo demorado, nesse não foi! Fora que a Adriana é super bacana e toda vez que eu vou lá ela pergunta como tá o cabelo, olha e tal, hehe. E os elogios foram super: as amigas todas falando que foi minha melhor mudança, e eu tenho que concordar! 😀

Salão Majestic
Rua Muniz Barreto, 416 – Botafogo
Tel.: 2226-4546 / 2235-6573
Profissional: Adriana Copello


Tags: , , , ,
2
Thálassa Coutinho

18 set
A inspiração do dia vem em ilustração

botica-urbana-inspiração-do-dia-all-black-look

foto: Shutterstock

Amo ilustrações de moda – quem acompanha o Botica desde o começo sabe que foi o segundo layout que ele teve: branco com rosa e uma ilustra linda no header – e passeando pelo Shutterstock achei essa que poderia ser facilmente um poster pendurado na minha parede! Amo look preto, e com um toque de branco melhor ainda, né? Consegui visualizar esse look em alguma linda do street style gringo, dando pinta em alguma semana de moda. Clássica e de quebra amante de vinho. Aí sim. :)


Tags: ,
1
Thálassa Coutinho

09 set
Meu (nem tão) novo favorito: blazer!

Depois desse pequeno post reflexivo aqui, renovei meu amor pelo blazer: peça clássica, atemporal, que combina com tudo e com todas na maioria dos momentos! Tem vários tipos de modelagem, mas eu prefiro disparado o de comprimento mais longo e bem cortado, porque é o que disfarça muito bem o meu quadril. Tenho um spencer, mas uso pouco justamente por ser mais curto e evidenciar ainda dicmais o que eu quero disfarçar.

E já que amo blazer assim de paixão, me empolguei em reunir algumas inspirações a convite da Sanduíche de Algodão, loja que reúne peças com preços pra todos os bolsos e uma variedade incrível de peças, espia só:

botica-urbana-blazers-como-usar-dia-trabalho-plus-size

Blazer branco pra todas: três ótimos exemplos de como usar! O look do meio é bem bacana pois equilibra a peça básica com a calça estampada (esse blazer tem plus size na Sanduíche de Algodão), e amo a produção esportiva. O modelo à la Kim Kardashian é um inspired da Balmain e achei bem do maravilhoso pra um hi-lo com jeans. Um modelo mais elegante com mix de texturas pode sair da zona de conforto e ir pra um look básico sim! Já os estampados dão aquela graça pros looks mais simples, do tipo peguei-qualquer-coisa-e-fui. Pra quem ama cor, esse tom de amarelo é lindeza e acende produções mais fechadas.

botica-urbana-blazers-como-usar-noite-festa-vestido-dicas

Olha a Emma Watson aí! Não adianta, sou fã mesmo. E amo esses exemplos de produção gala: os vestidos são incríveis, volumosos e cheios de pompa. Então além de ser perfeito pra dias frios, ainda neutraliza um pouco do look. O truquinho do cinto também fica mara com blazer boyfriend e dá um belo look chic pra noite. O look com tons neutros é bem “O Diabo Veste Prada”, lindeza pras executivas em dias de frio! Outro da Kim com potencial pra ser usado tanto de dia quanto à noite, só depende do calçado e acessórios adequados.

E falando em cor, esse azul é bem bonito! Não combina com meu tom de pele, mas aprecio nessas produções. Tem look noite quase monocromático da Mary-Kate Olsen, num jeans informal da maravilhosa Ashley Graham e na combinação comfy em tons de azul da Jules, amo muito!

publi


Tags: , , ,
1
Thálassa Coutinho

06 set
Inspiração do dia e uma pequena reflexão

Eu tenho uma relação de amor e ódio com a internet. Amo porque sim, e odeio também porque sim. Adoro conteúdo, adoro boas fotos e adoro redes sociais. Adoro escrever. E por mais que esse blog já não seja tão ativo quanto eu gostaria, é a ele que sempre recorro pra colocar um pouco mais de mim, foi assim desde quando o lancei, há cinco anos atrás. Podia ser só mais um post da tag Inspiração do Dia, mas também é uma reflexão sobre estilo, a mudança e a falta dele.

botica-urbana-inspiração-do-dia-kasia-smutniak

Provavelmente você não conhece (eu pelo menos não a conheço), mas seu nome é Kasia Smutniak, atriz e modelo polonesa – Google tá aí pra isso, não é? Gostei do look dela porque embora eu tenha um lado que ama coisas reluzentes, o que eu acabo externalizando é meu amor por peças neutras, que eu possa combinar com dez peças diferentes (já até fiz post aqui sobre looks clean). O sapato não me agrada, mas o minimalismo do conjunto de blusa + calça + blazer  me fez querer um look assim pra ontem.

Você que lê esse blog há muitos anos tem certeza de que nunca tive um estilo definido. Já fui brega ao extremo, e nunca fui de me importar em que peça tinha o corte X que tivesse um melhor caimento, ou costura bem acabada, ou cor que não acentuasse minhas olheiras (!!). Isso sempre me pareceu uma grande bobagem até me dar conta de que a profissão que escolhi e o meio ao qual me dedico pede que eu tenha um cuidado redobrado com todas essas coisas. A Thálassa de anos atrás iria revirar os olhos, mas a Thálassa de hoje começou a se divertir com isso.

Olho as peças com mais cuidado, presto atenção nas cores, na harmonia das peças. Peço ajuda aos universitários (não é, Lari?). Talvez fosse uma tarefa mais divertida não fosse minha irritação em ficar em uma cabine por mais de 5 minutos. Mas algo que percebi ultimamente é que passei a ter mais facilidade em escolher peças na arara que eu tenha pelo menos 70% de certeza de que ela ficará boa em mim. Passei a ter um autoconhecimento que não tinha: hoje sei o que quero vestir, o que se adequaria a cada ocasião e que imagem quero vender de mim mesma a cada reunião da empresa.

Acho que podemos chamar isso de maturidade, mas prefiro dizer que é mesmo uma puta oportunidade de conhecer a mim mesma e me permitir a mais coisas. E bem, moda tá aí pra gente se divertir, não é? Ainda me sinto mais segura em apostar no atemporal, mas devagar vou encontrar um ponto de equilíbrio e, quem sabe, definir de vez o meu estilo.


Tags: , , ,
1
Thálassa Coutinho